Cuidados ao utilizar o desconto de duplicatas

Cuidados ao utilizar o desconto de duplicatas

26/09/2015

A antecipação de recebíveis, ou desconto de duplicatas é, a grosso modo, o seu fluxo de caixa de recebíveis por vendas à prazo trazidos ao valor presente a determinada taxa de desconto.

Ok, explico....

É comum as empresas trabalharem com vendas a prazo e, em busca de manter sua competitividade, em muitas ocasiões essas vendas são realizadas sem o acréscimo de juros (em muitas outras ocasiões, as empresas vendem a prazo e com desconto... ....mas isso depende de uma série de outros fatores que valem um bom debate em sala de aula). Essas vendas a prazo representam a entrada de capital no futuro.

Essa entrada de capital futuro pode ser dividida em duas frentes:

1) Excelente, tenho garantias de que vai entrar dinheiro na empresa nos próximos X meses

2) Ops, tenho muitas dívidas que vão vencer amanhã... ...e o capital vai entrar em meu caixa somente no futuro.... ...e em suaves prestações.

Para os dois casos são necessários cuidados pontuais.

No exemplo 1, onde o empreendedor sente-se feliz pela entrada de capital na empresa por certo período de tempo, provavelmente há uma sobra de caixa para que as dívidas de curto prazo sejam pagas e a empresa não precise recorrer a crédito. Já no caso 2, notamos uma possível deficiência de caixa para o curto prazo onde, a empresa mostra-se nitidamente rentável, porém sua liquidez (seca) está em xeque.

Em situações como esta, o empreendedor pode recorrer a serviços financeiros de liquidez imediata, como utilização de cheque especial e empréstimos, ou ainda selecionar quais dívidas irá quitar no prazo (fortemente NÃO recomendado). Ou pode ainda recorrer ao desconto de duplicatas.

A operação de desconto de duplicatas consiste em selecionar certo valor de recebíveis aos quais a empresa tem direito e trazê-los para o valor presente a uma taxa de desconto estipulada pelo operador financeiro.

Esta operação é válida e pode auxiliar na gestão financeira da empresa desde que obedeça a alguns fatores:

1) O somatório da taxa de desconto + IOF + qualquer outra taxa imposta pelo operador financeiro deve ser MENOR do que o custo de outros serviços financeiros.

2) Essa operação deve ser absolutamente pontual. Não podemos esquecer que os recebíveis trazidos ao valor presente, significam invariavelmente uma redução na entrada de capital futura.

3) a taxa de desconto não transforme um lucro em prejuízo, por exemplo:                     

Vamos supor que eu venda um produto por $ 10,00 a um custo de $ 8,00

Esta venda foi realizada a prazo, portanto meu caixa não foi impactado neste momento.

Se eu vendi a $ 10,00 um produto que custou $8,00, minha margem bruta foi de 20%.

Por um descontrole qualquer, eu descubro que tenho uma fatura a vencer amanhã e eu estou com uma deficiência de caixa, vou então recorrer ao desconto de duplicatas.

Chegando ao banco, soube que a taxa de desconto para aqueles $ 10,00 seria de 30%, ou seja, aqueles $ 10,00 se transformam em $ 7,00. Como meu custo de produção foi $ 8,0 tenho um claro prejuízo financeiro nesta operação.

A melhor forma para a correta gestão é o Planejamento. Efetuar projeções de entrada e saída de capital é essencial para a correta gestão do negócio. é um processo criterioso que deve do qual devem tomar parte todos os departamentos da empresa.

Bons negócios!

Marcos Milan